Lukas Ruthes Gonçalves publica artigo no Journal of Gaming & Virtual Worlds.

O artigo escrito por Lukas Ruthes Gonçalves, pesquisador do GEDAI, escrito em coautoria com Bruna Werlang Paim, tem como objetivo analisar as Licenças mecânicas são usadas na indústria musical para permitir que editores e compositores sejam pagos por seu trabalho e para permitir que as obras musicais sejam melhor compartilhadas.

Segundo Lukas Ruthes, nos últimos anos, os videojogos ganharam grande importância económica e cultural, mas correm um risco crescente de se tornarem impossíveis de jogar devido ao facto de estarem frequentemente bloqueados em hardware específico.

Assim, afirma Lukas autorizar fãs e produtores de conteúdo a usar licenças mecânicas para refazer seus videogames favoritos ajudaria nos esforços de preservação e serviria como uma fonte de renda confiável para os editores originais.

Conceitualmente, obras musicais e videogames são semelhantes o suficiente para permitir que o esquema de licença mecânica seja aplicado aos jogos sem muitas alterações na legislação dos Estados Unidos, Reino Unido e China. Se adotado, isso garantiria que os jogos não ficassem presos a estratégias agressivas de propriedade intelectual ou se perdessem por só poderem rodar em determinadas plataformas.

O artigo intitulado “Como integrar licenças mecânicas para videogames nos Estados Unidos, no Reino Unido e na China”, foi publicado em inglês, no Journal of Gaming & Virtual Worlds.

Para acessá-lo, é só clicar no link.

https://intellectdiscover.com/content/journals/10.1386/jgvw_00078_1

Deixe um comentário